Twitter

terça-feira, 13 de novembro de 2007

YOKO ONO NO MAM

La Ono in Rio


A japa tá passeando pelo Brasil, fez show no Municipal de São Paulo com músicos brasileiros e veio ao Rio para uma performance com as crianças da exposição 'Arte para Crianças', no Museu de Arte Moderna, no Flamengo (RJ) e ainda deu uma coletiva pra imprensa carioca na Cinemateca.

Foi muito legal. Cheguei atrasado, interrompi Ms. Lennon quando ela respondia uma pergunta -- e eu, displicentemente, abri o microfone -- e rolou uma puta microfonia. Mas, como ela é chegada num grito e num barulho, manteve a linha e, fina, seguiu com a resposta. Essa parte foi hilária, pq ela não se incomodou e os jornaleiros se incomodaram. Caguei.

Segui e fiz a pergunta pra ela. Perguntei "Yoko, vc está pela segunda vez no Brasil e sua primeira exposição foi em Brasilia. Qual a diferença, pra vc, do Rio e de Brasilia e das mostras em sí?" E a japa, simpatica e olhando pra mim o tempo todo, educada e atenciosa, disse "Fiz uma mostra pra adultos que se comportaram como crianças. E a mostra era com grande número de obras minhas, era uma individual. Essa é uma coletiva e tenho apenas algumas obras, mas gostei do contato com as crianças, que se comportaram como adultos, e achei linda a cidade do Rio".

Já bastou. Tinham seguranças, claro, a japa tá viva depois de uma bomba de Hiroshima na cabeça, a morte do Beatle mais famoso do mundo e seu marido ao seu lado na porta de casa, milhões de abortos, sequestro da filha, perseguição eterna de fãs imbecís que acham que ela acabou com os Beatles e... tá aí, viva, firme, forte, pra frente, moderna e atual. Yoko Ono não é mito, porque mitos não existem. Mas que ela é uma mulher forte, agridoce, que mistura racional e emocional com arte o tempo inteiro, isso ela é.

Encontrei a fofa da Kamille Viola, do jornal O Dia, e falamos um pouco. Ela perguntou algo sobre música brasileira, que Yoko disse conhecer pouco. Mas Ono falou sobre violência, que ela disse ser um assunto importante. Disse que em Nova York as pessoas são consideradas impiedosas, mas que na hora de uma crise como o World Trade Center, são bem humanas e boas. E que isso acontece em várias cidades do mundo, mas os jornais tornam os fatos ainda piores. Ela estava muito à vontade e disse uma coisa linda, que me marcou: "nossos corações batem ao mesmo tempo".

"As crianças que vivenciam a arte desde cedo estão plantando sementes", disse a japa. O clima era de "peace and love", com ela agradecendo os artistas, os curadores, e ainda dizendo que teve tempo de ir conhecer Paraty e trocou umas idéias com Tomie Otake e suas duas filhas. Lá na minha pergunta, ela ainda disse: "aproveitei as duas viagens, quando fui à Brasilia e aqui no Rio. Gostou da seleção das obras e disse estar honrada de participar da mostra. Na árvore dos desejos que tem lá, ela colocou um bilhete dizendo que pedia um mundo mais pacífico -- coisa que ela vem fazendo há anos, com e sem o Lennon.

"No show que fiz optei por músicos brasileiros. Sei que foi uma escolha arriscada, mas deu certo. No final, o tecladista me perguntou se eu me incomodaria de encerrar com o samba, e eu adorei", disse Ono.

Foi divertido e leve. Não cruzei figuras nefastas e não tive qualquer stress. Viva La Ono!

sábado, 1 de setembro de 2007

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Brasil Pandeiro

Confira a lista dos denunciados que já viraram réus e os crimes a que responderão:

João Paulo Cunha - corrupção passiva, lavagem de dinheiro, peculato
Marcos Valério - corrupção ativa (2x), peculato (3x), lavagem de dinheiro
Cristiano Paz - corrupção ativa (2x), peculato (3x), lavagem de dinheiro
Ramon Hollerbach - peculato (3x), corrupção ativa, lavagem de dinheiro
Henrique Pizzolato - peculato (2x), lavagem de dinheiro, corrupção passiva
Luiz Gushiken - peculato
Kátia Rabello - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro
José Roberto Salgado - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro
Vinícius Samarame - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro
Ayanna Tenório - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro
Simone Vasconcelos - lavagem de dinheiro
Geiza Dias dos Santos - lavagem de dinheiro
Rogério Tolentino - lavagem de dinheiro
Anderson Adauto - lavagem de dinheiro (2x) e corrupção ativa
Paulo Rocha - lavagem de dinheiro
Professor Luizinho - lavagem de dinheiro
João Magno - lavagem de dinheiro
Anita Leocádia - lavagem de dinheiro
José Luiz Alves - lavagem de dinheiro
Pedro Henry - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
José Janene - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Pedro Corrêa - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
João Cláudio Genu - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Enivaldo Quadrado - formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Breno Fischberg - formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Carlos Alberto Quaglia - formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Valdemar Costa Neto - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Jacinto Lamas - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Bispo Rodrigues - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Antonio Lamas - lavagem de dinheiro e formação de quadrilha
Roberto Jefferson - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Romeu Queiroz - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Emerson Palmieri - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
José Borba - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
José Dirceu - corrupção ativa

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Aí vai a letra de 'Colher de Chá', gravada em compacto e ainda rara de RV, mas circulando pelos soulseeks da vida. Uma das melhores letras de música já gravadas, em minha modesta opinião. O macumbeiro Tony Osanah também é o compositor da clássica 'Cavaleiro de Aruanda', já devidamente revisitada por Rita Ribeiro em seu novo show.



COLHER DE CHÁ

(Tony Osanah)


RONNIE VON


Quem manda no terreiro é Ogum
Quem manda no universo é Oxalá

O Homem chegou a Lua

Porque Deus deu colher de chá

Se o Homem a Mercúrio quer chegar

Licença vai ter que pedir

Melhor não pensar em exigir

O sol pode até se esquentar

Seria bom se alguém pudesse chegar lá

Pra gente aqui na terra saber

Qual é a transa meu Pai qual é a transa

É preciso ter pureza para entrar

Mas o destino é o Pai da morte

Quem manda no Universo é Oxalá

Ninguém sabe qual é seu caminho

Mas com fé a gente ainda chega lá

Ninguém sabe qual é seu caminho

Mas com fé a gente tem colher de chá.

Seria bom se alguém pudesse chegar lá...



FOTO com Ronnie Von, este blogueiro e Cristininha Von -- responsável pela força em emprestar as capas dos originais para os relançamentos da Universal, pilotados por mim. Quem bateu foi o Marcelo Cable, em 2004. Estávamos na casa dele pra tratar destes relançamentos.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

O PAÍS É UMA ZONA


Sei que já é lugar comum, mas agora a mídia vai explorar as familias das vítimas do acidente aéreo de Congonhas e o mais incrível é que a pista estava igual a um sabão e o vôo tinha transcorrido normalmente.

Claro, estou chocado aqui em meu mausoleo rivera com esse desencarne coletivo em massa! Isso não era pra acontecer - e já que aconteceu, que gente inocente sirva de lição para o maior cuidado com as vidas humanas, que não podem ser album de figurinha de orkut.

É realmente uma vergonha - como diria o Boris Casoy




Foto: Zé do Caixão

quarta-feira, 11 de julho de 2007

A FELICIDADE SÃO MOMENTOS


O camarim de Rita Ribeiro

A cantora e compositora maranhense Rita Ribeiro -- que conhece o Chico Cesar, o Zeca Baleiro e uma turma bacana -- já está no mercado fonográfico e no showbiz nacional há tempos, mas só agora está recebendo o devido reconhecimento de público e crítica.

Seu show 'Tecnomacumba', que mistura a influência dos orixás na música e a MPB com a propriedade de regravar sucessos que falem do tema já interpretados por Clara Nunes e Maria Bethânia, lotou o Canecão, em única apresentação quarta-feira passada.

Para dividir o palco com Rita, dona de uma bela voz e intérprete de suas canções com teatralidade e louvor, amigos que fizeram o glacê do bolo: Ney Matogrosso, a rainha do samba Beth Carvalho e a marrom Alcione.

Na platéia (e no camarim) da artista as cantoras Zélia Duncan, Crikka Amorim e Ana Carolina, Emilio Santiago, uma antipática Liége Monteiro e um simpático ex-BBB Jean Willys. Na van pra Niterói, depois do show -- saindo da Torre do Rio Sul -- um hoje desconhecido ex-VJ da MTV, Levi. E isso me fez pensar que ninguém lembra do cara. Ele sumiu mesmo do meio.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

A PERDA


Não existe explicação para a perda
Tenho medo de desapegos e desligamentos
A gente pode mais sozinho, mas pode menos também
Quem é que vai nos olhar de fora? Quem vai ouvir, dizer?

Infelizmente não enfrento um dos meus melhores momentos
Dizem que após a tempestade sempre vem a bonança
A gente tem medo de errar, de apostar errado e perder
A gente é ser humano nascido e criado com medo

Soltar as amarras requer tempo, requer coragem
A força vem das entranhas, a luz surge de novo. Mas quando?

Enquanto isso como faço com tudo aquilo que eu me acostumei?
Será que eu só acostumei? Será que era real?
Porque eu não evolui - e involui, para acompanhar a outra pessoa?

BASTA DE PERGUNTAS
BASTA DE RESPOSTAS

De novo voltando ao pó, de onde eu vim.

..............................................................
"A morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos" (Norman Cuisins)

sexta-feira, 22 de junho de 2007


Sempre vi uma correlação entre rita lee, rita pavone e celly campello - as três são abusadas o suficiente, são desafiadoras de suas épocas áureas e essa correlação de Itália (e França tbm!) com o Brasil é realmente uma coisa curiosa. Reflete na música jovem, de comportamento, reflete nas atitudes.

Imagina, gente! Aquilo era ousado! Rita Lee bicando David Bowie e Rita Pavone cantando que vai dar porrada com um martelo em italiano é vanguarda!

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Ola pessoas

LINK: http://www.kamymusic.com.br/noticias2.asp?id=70558

E letra de música:

Modinha

Rita Lee


Quem é que pode ser gigante nesse mundo tão pequeno?
Como é que faz pra gente ser feliz e rico ao mesmo tempo?
Eu não sei, mas eu vou tentar
Todo remédio que me cura tem uma contra-indicação
O que faz bem pra alma pode fazer mal pro coração
De quem tem pressa de chegar
Ai quem me dera um dia,
Ficar de papo pro ar
Tirando um som de uma viola
E quanto mais a gente ganha mais a gente vai perder
Porque essa vida tá ficando um osso duro de roer
E então, acho bom lembrar
Que o passarinho na gaiola não esquece de cantar
Que uma criança nunca briga se ela aprende a brincar e amar
Como tem que ser
Ai quem me dera um dia
Ficar de papo pro ar
Tirando um som de uma viola
Ai, ai...

quarta-feira, 13 de junho de 2007

hoje

campos
cheque
contato
interior
mato
janela
ônibus
vidro
lan house
gmail
celular
banco
chuvisco
1001
MP3

E como é que foi o dia de vocês?

terça-feira, 12 de junho de 2007

Estou ouvindo Hunky Dory, do David Bowie.
Ô, discão emocionante! Clássico indiscutível!

Quiksand e Oh! You Pretty Things são minhas preferidas!

Saudações telepáticas!

quarta-feira, 6 de junho de 2007

BOM DIA

hoje estou escutando a banda ESPINHA DE PEIXE -- que minha querida Lilia Felippe me deixou de herança, pra eu trabalhar com os caras... não é que o Marcos Leite, o Marquinhos, era baterista da minha primeira e unica e eternamente inacabada banda, OS PLANTAS. Foi engraçado.

A banda é ótima, tem muito talento e tranquilidade para dar certo, maturidade, letras psicodélicas com MPB e rock, guitarras de Led, etc. Muito bacana. To gostando, e é bom gostar daquilo que falamos que é bom.

Até breve, saudações do povo do oriente

terça-feira, 5 de junho de 2007

delírios fazem parte do café da manhã

... sem o fogo da paixão não vai haver amanhã". Frases de canções do novo CD da Angela Ro Ro. Sem beber, com dentes (ou próteses) no lugar, ela estava lá, no camarim do Teatro Municipal de Niterói, depois de um show antológico em abril de 2007. Fui lá, conferi - e gostei da nova Ro Ro. As pessoas mudam mesmo! Eu estava vendo minha foto há 10 anos atrás e agora, putz... muda muito mesmo!

Odeio flenks ruim! Putz!

Rivera